O Fidelis discute o contraste entre o clássico, as novas tendências em casamentos e o que os noivos devem fazer.

Escrevi este post quando, aqui na Comunidade Mobieve, Assessores e Cerimonialistas debatiam: De Que Lado Do Acompanhante A Noiva Deve Entrar Na Igreja?

E agora, que direção eu sigo? É difícil quebrar uma tradição. Houve quem defendesse a prática do lado esquerdo do acompanhante. Afinal, este é um costume centenário que vem lá dos protocolos das cerimônias militares de anos longínquos no passado. Enquanto outros defendiam posição contrária, não se opunham se os lados fossem trocados, desde que noiva e acompanhante se sentissem bem.

Qual é a lição que se tira desse debate?

A lição que se tira dessa discussão é que, no contexto em que vivemos, não há espaços para costumes rígidos, ortodoxos. Nota-se entre as pessoas, que os comportamentos de agora são altamente democráticos, muitas vezes deixando para trás o politicamente correto ou o rigor ditado pelo tradicional.

A noiva casar-se vestida de branco é um costume que se perde no tempo de tão antigo. O apelo é tão forte, que quase se torna uma obrigação, casar-se de branco.

Mas a tendência diz que não é bem assim, se ela quiser, pode se casar com quaisquer outras cores que sejam de seu gosto. E a variação de cores dos vestidos de noivas, já não é novidade para ninguém. Tem noiva que se casa de preto, vermelho, rosa...

Sem querer pisar no terreno dos clássicos, aquela história de procedimento padrão, onde tudo tem que ser igual ao que outros fazem, acabou. As regras agora são outras. Cada um escolhe seu próprio estilo e pronto!

Já ouvi sobre noiva que usou tênis sob o vestido ao invés de sapatos chiquérrimos, caríssimos. Que um pet da família levou as alianças até o altar e até o episódio de um pássaro, calopsita, que ajudou o cantor na música de entrada, arrancando sorrisos e lágrimas dos convidados e familiares.

Hoje é assim, quanto mais diferente, melhor. Bem que este poderia ser o “slogan” dos noivos de agora. É claro que algumas críticas virão; mas se todos concordassem nem haveria tanta graça!

A mágica da tendência

Tendência é uma palavrinha mágica, com uma força extraordinária, que passeia, anualmente, pelos mercados de consumo do mundo inteiro, influenciando, ditando suas regras e preferências.

Certamente todo mundo já leu, ouviu ou participou de conversas sobre, qual será a tecnologia predominante para os carros que serão lançados no próximo ano? Ou então, qual será a cor da moda da próxima estação?

É muito comum entrar numa loja para comprar alguma roupa e a mocinha do balcão dizer: “Dessa coleção não tem mais!” Significa que a cada estação as coleções se modificam dando lugar a uma nova tendência.

A tendência é capaz, sozinha, de transformar expectativas em realidade, produzindo emoção, ansiedade e desejo. Não importa se estamos nos referindo ao mercado do vestuário, construção civil ou de automóvel; ou se é apenas um costume centenário e tradicional.
O que sabemos é que as mudanças ditadas pela tendência alteram gostos e comportamentos num piscar de olhos.

Como É Que A Coisa Funciona?

Para a tribo dos teens, por exemplo, estiloso é o cara que anda, se veste, usa produção da moda. Cada tribo tem seu próprio estilo que vai se modificando a cada sacada diferente que alguém inventa.

Não faz muito tempo, no Brasil, as montadoras produziam poucos carros de cor branca. Ficavam encalhados porque a cor branca era associada às de ambulâncias que predominavam com essa cor.

O mesmo acontecia com veículos pretos, que eram comparados a carros fúnebres. No entanto hoje, as cores branca e preta, são uma das mais aceitas no mercado de carros de passeio.

Outro bom exemplo é o da tatuagem. Ela existe desde sempre, mas não eram tão difundidas como vemos agora. Não sei dizer se é chic ou não, a verdade é que hoje ser tatuado virou modismo.

Se quiser uma boa comprovação do que estamos falando, basta ir a um estádio, ou ver uma partida de futebol pela tevê. Praticamente todos os jogadores são tatuados; cada qual com seus riscos, traços, desenhos e figuras, exibindo-as para quem quiser ver.

Uso de piercings em vários pontos do corpo, também é uma tendência visível e predominante, principalmente entre os mais jovens. Não há registros do uso desses acessórios com tanta ostensividade em outras épocas.

São práticas que retratam o direito de ser livre para cultuar a moda, o gosto, a beleza da maneira que mais agradar. Ninguém está preocupado com que o outro vai falar. No fundo, a graça da brincadeira está exatamente nas críticas.

Por Quê Seguimos Tendências?

Será que só para mostrar que são descolados e que estão antenados com a onda do momento? Pode ser que sim. Mas, por trás dessa afirmação deve existir outro motivo, muito forte, influenciando-os à prática de tais modismos. Esta força motivadora é o que chamamos de tendência.

A tendência é, provavelmente, a “inimiga número um” da tradição. Pois, enquanto a tradição constrói, a tendência destrói. Na maioria das vezes, por um bom motivo, claro!

Mas quem é, de verdade, essa palavrinha petulante que vive atacando com tanto vigor o íntimo das pessoas? Classifico tendência como sendo uma predisposição comportamental que leva o indivíduo a mover-se em determinado sentido para acompanhar alguém ou alguma coisa, dando-lhe apoio e crédito. Ficou bom?

Mas Quem É O Agente, Ou Agentes Que Induzem À Essas Modificações?

Com certeza, o tempo e o conhecimento são alguns desses agentes, e também os mais importantes. À medida que o tempo avança e o conhecimento se amplia, surgem novas invenções, criam-se novas necessidades e o desejo de experimentar coisas diferentes que proporcionam comodidade, satisfação, bem-estar, encanto numa velocidade desenfreada.

Empresas de porte, que operam em áreas diversas, já contam em seus quadros funcionais, com especialistas em fazer a leitura de tendências. São os visagistas, profissionais que trabalham nas ruas, avenidas e locais com alto fluxo de pessoas, em grandes cidades, observando gostos e comportamentos que são registrados em planilhas; depois discutidos, analisados e transformados em produtos com as características observadas.

São as tendências influenciando a moda cujos resultados vão aparecer nos próximos lançamentos.

Concluímos que tendência é tudo. E não é só quando se trata de negócios; influencia também em usos e costumes, tal e qual acontece com os noivos e casais modernos. Aquele que fizer a melhor leitura do gosto das pessoas, provavelmente vai colher o melhor resultado.

Na moda, não é preciso contratar um Personal Stylist para ser fashion e deixar o look apropriado para todos os momentos; basta ser esperto e ficar de olho nos designers e cores da estação. É provável que seja suficiente para colocar, em destaque, seu bom-gosto e elegância.

Quanto a que lado as noivas devem seguir seus acompanhantes... Ora, vamos dizer que elas podem escolher à vontade! Outros tempos, outras regras!

Valeu! Tchau!